Let’s Go! Ping Pong Club – capítulo 1

Conforme o prometido, aqui vai a primeira página do mangá de “Let’s Go! Ping Pong Club”.

image

A segunda página de “Ike! Inachu Takyubu” com a apresentação da história.

No Japão as séries de mangas normalmente são publicadas em revistas semanais de grandes tiragens, impressas em papel jornal com tiragens na casa do milhão, e muitas vezes são descartáveis.

Depois as editoras publicam as histórias reunidas em livros e que são vendidas nas livrarias, quando é a oportunidade de reunir a sua coleção dos personagens dos quais você realmente aprecia.

image

Título do primeiro capítulo: “Prédio da escola dos seis”

image

O prédio da escola dos estudantes do ensino médio no Japão. Em seguida a sala dos alunos que participam do clube de Ping Pong.

image

Apresentando os personagens principais: Takeda, o líder da turma de Ping Pong. Em seguida temos Maeno, um dos participantes (um maluco-pervertido) da turma de Ping Pong.

Maeno: “Hei! Takeda!”

Takeda: “O que foi?”

Maeno: “Você quer experimentar pegar um dos meus novos saques?” – Maeno é um grande pervertido que acredita que sabe alguma coisa.

image

Takeda: “O que foi? Mais outro saque esquisito?”

Maeno: “Não! Agora é um saque de verdade!”

Maeno: “He, he, he!” (risada sarcástica)

Clima de suspense!

Acompanhe no próximo capítulo!

E não custa lembrar: em japones lê-se o quadro primeiro da direita para a esquerda! E as letras em japones estão na vertical, sempre obedecendo a leitura da direita para a esquerda também.

Lendo quadrinhos no Kindle

Kindle Keyboard Wifi 3a. geração

Lendo um quadrinho no Kindle, através do recurso do uso do Kindle Comic Creator. Fiz um passo a passo em um post anterior, quem quiser dá uma conferida neste link.

Agora um personagem que gostava bastante era do Rom, mas na época do formatinho da editora Abril nunca consegui acompanhar toda a saga. Mas neste inicio de ano consegui os arquivos digitais com toda a série e venho curtindo toda a história do personagem. Confesso que fiz um download pirata, mas enfim não consegui me controlar.

Mas fiz o trabalho de ir convertendo tudo para leitura no Kindle, até porque ler quadrinho no computador não tem muita graça não, pois o legal é ler deitado na sua cama ou no sofá.

Visão geral da página do quadrinho

Opção de zoom da página e do Panel View

Clicando com o botão direito entra automaticamente no modo Panel View do quadrinho

Outro quadro do Panel View

Fanzine Psiu

image

No começo da minha jornada pelo fantástico mundo dos fanzines, no final dos anos 1980, o único meio de contato era por carta. Havia uma agencia dos correios perto de casa e até virei um “conhecido” do funcionário que me atendia, quando enviava cartas pelo Brasil afora em contato com os fanzineiros.

Um fanzine em especial que era frequentemente elogiado nas publicações que lia era do Edgard Guimarães, que editava o Psiu. Edgard era natural de Minas Gerais, havia editado somente dois números do seu fanzine quando adquiri com ele meus exemplares, e estava para lançar uma edição especial só de quadrinhos com uma temática única.

Seu projeto era muito ambicioso e original: lançar uma edição de quadrinhos cujo tema seria Deus, abrangendo a maior colaboração possível de artistas amadores e com estilos diferentes.

image

Como não poderia deixar de participar, logo tratei de escrever uma história em quadrinhos, pois também pretendia ser desenhista nesta época. Nos meusfanzines ainda arriscava uns rabiscos.

Fiz então minha história cujo personagem principal era Deus, ainda muito influenciado pelo traço do Angeli, que gostava muito, e acabei realizando a mais longa história que já havia feito, com 11 páginas desenhadas e arte-finalizadas a nanquim.

Quando ficou pronto o Edgard muito gentilmente enviou uma cópia impressa do álbum para mim e para todos os artistas que participaram. Acabei recebendo minha cópia, mas como os custos de impressão eram proibitivos nestes tempos, veio sem capa e com as folhas simplesmente coladas. Como também não tinha grana para mandar encadernar, até hoje mantenho a cópia no “original”, agora já com as folhas um pouco amareladas, dando um charmevintage para o fanzine.

As histórias em quadrinhos presentes neste fanzine dão um apanhado geral da vitalidade dos artistas amadores que haviam no Brasil naquele momento. gerando mais de 260 páginas neste álbum em quadrinhos.

Mais para a frente pretendo escrever um post com mais detalhes sobre a edição e publicar mais fotos. Também espero entrar em contato com Edgard e quem sabe escrever mais sobre o assunto futuramente.

image

Na página 2 os nomes dos colaboradores.

image

Em detalhe no centro o meu nome como colaborador. Mas escrito errado no sobrenome…

image

Em detalhe o nome do editor, a tiragem e a data de impressão do fanzine.

image

A primeira página da minha história. No alto da página um versículo da bíblia e a imagem de Deus que fiz…

image

Mais uma visão geral da história.

image

Um detalhe legal: no alto de cada página uma frase com a temática de Deus escrita por todo o fanzine.

image

Por último o índice dos autores e suas respectivas histórias.

Leitura de Quadrinhos no Kindle

Imagem

O Kindle foi uma encomenda feita ao meu primo que acabou me dando de presente quando foi a uma viagem aos EUA em 2010. Apesar do formato de arquivo proprietário de e-book, ainda considero o melhor reader para leitura pelo design e software.

Uma atualização no inicio do ano possibilitou a leitura de arquivo em quadrinhos, e alguns meses atras a Amazon soltou um software para edição de quadrinhos e publicação dos mesmos para sua loja, mas que também permite que seus comic books sejam adaptados para leitura quadro a quadro no Kindle. Esta é mais uma funcionalidade que trouxe ainda mais utilidade ao meu Kindle. O porém é que as imagens não ficam em uma boa resolução, sendo mais fácil a leitura quando se adaptam histórias em quadrinhos mais antigas, como nos formatinhos da editora Abril e suas cores mais chapadas e letras um pouco maiores.

Enfim, mais uma forma de se apreciar os quadrinhos que não sejam somente no papel.