Bookman: app de leitura de quadrinhos no iPad

O iOS continua sendo o melhor sistema para uso em tablets, pois seu ecossistema de apps é muito melhor que os tablets Android, que ainda ficam muito a dever em termos de design e lançamento de novos aplicativos, pois em sua imensa maioria os desenvolvedores lançam primeiro seus apps para iOS e posteriormente para Android.

Tanto é que pelo meu exemplo ainda continuo usando um iPad de primeira geração, que ficou parado no tempo com o iOS 5.1.1 mas continua sendo perfeito para a leitura da minha coleção digital de gibis.

Mesmo comparando com certos apps disponíveis atualmente, o Bookman continua sendo o melhor e mais simples aplicativo para leitura de quadrinhos. É leve, simples de usar e não tem segredos; nem depende de estar conectado para passar o tempo lendo seus gibis.

Pela internet consegui baixar muita coisa que nunca havia lido na vida, principalmente edições antigas e que não são mais editadas pelas editoras. Assim o Bookman se torna o app ideal para ler meus quadrinhos.

Para você entender a facilidade que é o app Bookman para leitura de quadrinhos, segue um pequeno tutorial para entender seu funcionamento.

IMG_0001

O app Bookman é encontrado na Appstore da Apple por $2,99 doletas para iPad e $1,99 doletas para iPhone. Logicamente em uma certa promoção, consegui comprar por $0,99 doletas, pois sou muito pão duro para gastar meu dinheiro.

 

Bookman no iTunes

Bookman no iTunes

Depois que você instala o Bookman no iPad, para transferir os arquivos será preciso conectar seu iPad ao computador, abrir o iTunes e na aba aplicativos encontrar o app e inserir manualmente os arquivos que você deseja manter para leitura no iPad. Note que os arquivos .cbr são muito leves e permite ter uma extensa biblioteca ocupando muito pouco espaço na memória.

Biblioteca do Bookman

Biblioteca do Bookman

Assim que você transferir seus arquivos, ao abrir o Bookman no iPad você tem duas possibilidades de visualizar seus gibis: um é imitando uma estante com as respectivas capas de gibis.

Biblioteca no Bookman

Biblioteca do Bookman

Outra possibilidade é exibir seus arquivos em lista, com o título de cada revista e o andamento de leitura de cada revista. Esta eu considero a melhor pois você pode acompanhar de fato onde parou em cada revista, sem se perder com tantos títulos.

Tales to Antonish

Tales to Astonish

Quando você clica em um arquivo, a página se abre exatamente no momento em que você parou anteriormente a sua leitura.

IMG_0006

 

Quando você clica no meio da página, ela abre um menu com a visualização de todas as páginas onde permite que você localize uma página específica ou volte atrás para recomeçar a leitura.

IMG_0007

Em settings você tem a possibilidade de alterar algumas configurações do app, além de criar bookmarks, compartilhar nas redes sociais alguma página e mudar a aparência, entre outras coisas.

Você pode encontrar o app neste link. Boa diversão!

Anúncios

Bookman: o melhor app para leitura de quadrinhos no iPad

Ipad no banheiro

Ipad

Tenho um iPad 1 desde o seu lançamento, no longínquo ano de 2010, com 32 GB de memória e no modelo Wifi. O principal motivo que me levou a comprá-lo foi a possibilidade de ler quadrinhos no iPad, por isso a opção com 32 GB de memória, pois assim poderia levar quase toda minha coleção digital por aí, sem depender sempre de uma conexão pela internet para baixar algo para leitura, ou então de sempre sincronizar pelo computador os arquivos necessários para leitura.

De lá pra cá, muitos lançamentos de modelos novos de iPad aconteceram, a concorrência se mexeu, os preços caíram, o iOS evoluiu, o Palmeiras voltou para a 1a. divisão, mas o meu iPad de primeira geração continua firme e forte. Mesmo sendo caro no Brasil, o iPad vale todo o preço que se paga por ele. Até hoje a bateria do iPad 1 continua boa, o sistema iOS continua estável e mesmo ainda sem as recentes atualizações o iPad 1 dá para o gasto.

Em comparação com os tablets Android, o iOS 5.1.1 presente no iPad 1 não faz feio ainda e o hardware da maçã verde é impecável. Cheguei até a comprar um tablet da Asus de 7 polegadas, mas mesmo sendo barato me arrependo até hoje da compra, de tão ruim que ele é. Gostaria de devolver para a fabricante e receber meu dinheiro de volta.

Ma voltando ao assunto principal deste post: qual aplicativo seria o melhor para ler meus quadrinhos no iPad?

Fazendo uma pesquisa pela web, cheguei a um aplicativo meio desconhecido mas que quando entrou em promoção de $2,99 para $0,99 centavos de dólar, sem pensar duas vezes, acabei comprando.

Este app se chama Bookman e você pode conhecer melhor pelo seu site.

Sinceramente é o melhor app para leitura de quadrinhos, poi aceita os mais variados formatos da sua coleção pirata de gibis digitais: .pdf, .cbr, .zip files, .cbz, .rar. O único porém é que quadrinhos escaneados em .jpeg não são reconhecidos pelo app.

Bookman

Bookman

Mas o melhor arquivo de leitura de quadrinhos é o formato .cbr pois além da boa qualidade de imagem, o tamanho é relativamente pequeno em comparação com .pdf ou .jpeg. Ou seja sua coleção pode aumentar cada vez mais, com tamanhos de arquivos menores ocupando o seu HD do computador ou serviços de backup na nuvem como o Dropbox ou Cloud Drive.

 

Quadrinhos digital: ComicRack para ruindows

comicrackNa busca incessante de se ler quadrinhos nos dispositivos móveis dos mais variáveis, encontramos inúmeros apps para tablets e smartphones, além de programas próprios para computador.

No caso do ruindows o melhor programa gratuito é o ComicRack, que permite organizar toda a sua biblioteca de gibis digitais seja em arquivo .cbr ou .pdf, além de permitir gravar seu ritmo de leitura e não se perder aonde estava lendo no dia anterior.

O ComicRack para ruindows tem um porém:  o visual confuso meio datado dos anos 1990. Até pegar a manha do negócio você meio que cansa do programa e já fecha logo. Nesse aspecto o advento dos dispositivos móveis e sua usabilidade é um ponto em vantagem com relação aos computadores tradicionais.

Tentando ler Animal no ComicRack

Tentando ler Animal no ComicRack

No detalhe a direita todos os seus arquivos disponíveis para leitura

Na verdade com o ComicRack você fica refém do mouse: é tanto clique pra lá e pra cá que chega a ser chatinho. Em compensação o ComicRack é gratuito e o app aceita doação via paypal, e quando se é de graça você até não se importa muito com os defeitos do programa.

Agora a questão é: você consegue ficar um bom tempo em frente a um computador sentado lendo um gibi? E você já teve a experiencia de levar um notebook para ler sentado no vaso do banheiro enquanto faz as sua necessidades básicas?

Eu já tive antigamente mas agora que nós temos tablets e smartphones fica meio estranho agora ir ao banheiro com um notebook.

59t84

Qual o melhor meio digital para se ler quadrinhos? Parte 3

Watchmen

Watchmen no Kindle

Depois da euforia inicial de ter um aparelho novo para a leitura de quadrinhos, o Ipad foi cansando e já demonstrava certas limitações, principalmente o peso para se ler deitado na cama.

Normalmente o tempo de leitura dispensado por mim ocorre nos momentos que antecedem ao sono; outro momento é quando você está no banheiro sentado no trono. É lógico que o bom senso recomende que você faça suas leituras sentado para entender melhor ou que ficar muito tempo no vaso faz mal a sua saúde, mas nem sempre você fica preocupado com essas coisas.

Assim, quando um parente meu falou que iria viajar aos EUA, pedi a ele que trouxesse um Kindle de segunda geração modelo keyboard. A melhor coisa que o Kindle possui é o seu peso leve, um design bacana e fácil de segurar com uma mão só.

No começo o Kindle era só para leitura de e-books, mas uns dois anos atrás com o surgimento do tablet da Amazon, foram disponibilizados em sua app store quadrinhos para compra, além de música e filmes. O aparelho mostrou-se perfeito para ler na cama, confortável e melhor até que segurar um livro aberto.

Só ficava pensando como eu poderia aproveitar melhor para a leitura de quadrinhos, já que na loja da Amazon os títulos são todos em inglês.

Kindle Comic Creator

Kindle Comic Creator

Tudo começou a mudar quando a Amazon lançou o Kindle Comic Creator para que autores independentes publicassem seus quadrinhos direto na loja da Amazon, assim como fez com os escritores de livros. Já escrevi a respeito disso antes e você pode ler aqui.

Além disso com esse programa a Amazon permitiu a qualquer um que pudesse converter seus quadrinhos em arquivos para serem lidos no Kindle, mas o principal benefício é poder desenvolver a leitura quadro a quadro, no chamado modo panel.

Como a tela do Kindle é pequena e não possui boa resolução para imagens, o modo panel é a solução adequada para se ler quadrinhos. Como o Kindle é confortável de se segurar, não cansa a sua leitura pois a tela não é iluminada como os tablets.

E como ainda tenho o modelo antigo do Kindle, acredito que por sua tela não ser touch não há os toques acidentais que fazem com que você mude sua tela de leitura sem querer.

O modo panel em ação no Kindle

O modo panel em ação no Kindle

Mas é lógico que nem tudo é perfeito: como a resolução de uma tela em e-ink não é apropriada para imagens, a forma com que você lê certas ações ficam prejudicadas na leitura, e nem toda arte fica bem na tela e-ink, principalmente os quadrinhos que abusam mais da diagramação.

Além disso o preço do Kindle no Brasil é proibitivo: R$299 por um aparelho que nos EUA custa $69 doletas no modelo mais simples. Se tiver alguém que traga de fora é uma aquisição que vale a pena.

Mas por enquanto acredito que mesmo dando um pouco de trabalho convertendo sua coleção para leitura no Kindle, acredito que seja a melhor opção para se ler gibis e poder carregar sua coleção por aí.

Como ainda não tenho o Kindle Touch, não sei dizer se a tela touch permite a leitura mais agradável, e nem se com o novo modelo de Ipad, que é mais leve, ou até mesmo com o Ipad Mini se a leitura não seja melhor.

The Phantom Lady Omnibus [Fantastic Femmes of the Comics] [Kindle Edition]

Um exemplo de gibi disponível na Amazon: “The Phantom Lady Omnibus”

Quadrinhos no Ipad: coleção Moebius da editora Nemo

Imagem A editora Nemo vem desde o seu lançamento em 2011 alcançando boas críticas no mercado de quadrinhos no Brasil, oferecendo excelentes álbuns em acabamento gráfico e trazendo autores europeus que há muito não vinham mais sendo publicados, além de outras tantas obras que continuavam inéditos por aqui.

Mas uma expectativa criada era a possibilidade deles partirem também para a publicação no formato digital, já que aqui no Brasil não encontramos muitas opções de qualidade em nossa língua.

Eu não sei exatamente desde quando começaram a oferecer tais títulos, mas está agora disponível na Apple Store a Coleção Moebius já lançada pela própria editora nas livrarias.

Encontrar tais coleções disponíveis no Ipad e também em português é uma oportunidade boa para que a gente tenha mais opções com qualidade para a leitura de quadrinhos.

Um detalhe do álbum disponível para download

Um detalhe do álbum disponível para download

2

Toda a coleção Moebius disponível

Acessando via iTunes você encontra todos os álbuns disponíveis e a um preço bem camarada: $9,99 doletas. Convertendo em reais de hoje deve dar uns R$27,00. Comparando com o preço dos álbuns que são vendidos em livrarias por R$49,00 ganha-se um boa economia, principalmente se você pretende adquirir todos os livros da coleção.

O porém é que tais livros só podem ser lidos em um Ipad ou Iphone, limitando um pouco o acesso aos quadrinhos no futuro, caso você troque por outros modelos de outras marcas.

Agora é de se pensar qual o melhor investimento a se fazer: gastar um pouco mais mas ter o álbum de quadrinhos em sua estante, ou economizar um pouco e carregar tudo embaixo do braço junto com o Ipad?

E para finalizar alguns desenhos do Moebius encontrados por aí pela internet!

Auto retrato por Moebius

Auto retrato por Moebius

 

Iron Man!

Iron Man!

Qual o melhor meio digital para se ler quadrinhos? Parte 2

Ipad no banheiro

Ipad no banheiro

Quando surgiu o primeiro modelo do Ipad, tive uma vislumbre: ali estava o meu leitor de quadrinhos digital! Cansado de tanto ler quadrinhos numa tela pequena de smartphone, a tela grande e confortável de um tablet era uma maravilha.

Consegui comprar o modelo de 32 GB de memória, já pensando na quantidade de arquivos que poderia guardar no Ipad. Além do iOS ser um sistema estável e que roda tranquilo sem engasgos, o Ipad também conta com uma bateria de longa duração e uma coleção de apps para brincar, ser produtivo e levar a internet para a cama, o sofá e principalmente para ler no banheiro!

Mas com o tempo de uso foram surgindo as inconveniências.

Em primeiro veio a questão do peso do aparelho. O Ipad é leve mas com o tempo ele começa a cansar em suas mãos. E ainda era o primeiro modelo de Ipad, o mais pesado de todos, cerca de meio quilo.

Em segundo vem a tela: o brilho começa a incomodar depois de meia hora de leitura, principalmente em ambiente escuro.

Em terceiro vem a forma de colocar seus arquivos digitais no Ipad. É preciso usar um computador, acessar pelo iTunes, e marcar manualmente toda a coleção para então poder ler no Ipad. Mas se seu arquivo está em cbr é preciso adquirir um app específico para leitura.

bookman

Bookman

Na época pesquisei um pouco e adquiri o Bookman por $0,99 centavos de doletas. Só que o Bookman não permite a leitura de arquivo em jpg, somente o cbr e pdf. O app organiza bem sua coleção e você tem várias formas de montar suas coleções: por autores, por revistas, por interesse, além de ajudar a guardar quantas revistas já leu ou em que parte você parou.

Para leitura de quadrinhos em jpg tinha que transferir pelo Fotos e depois você tinha que visualizar seus quadrinhos como se fossem fotos, passando um a um as imagens. O problema é que ainda seus quadrinhos ficavam junto com suas fotos e não era uma coisa legal, pois ficavam tudo misturados.

Em quarto descobri que as cópias que você encontra pela web não tem uma boa resolução. É como baixar aquela cópia de filme pirata e para não ocupar muito espaço nem demorar tanto para baixar o arquivo só tem 600 MB, e quando você assiste se depara com uma imagem toda pixelizada e recortada. Com alguns quadrinhos acontece o mesmo e sinceramente, estraga muito o prazer da leitura.

Enfim, o Ipad proporciona muitas qualidades e conforto mas deixa a desejar em certos aspectos práticos na leitura de sua coleção de quadrinhos. Mas será que haveria mais uma outra forma de se ler gibis? Ainda temos o Kindle, mas já é assunto para um próximo post.

Bookman

Bookman

Bookman

Bookman

Qual é o melhor meio digital para ler seus quadrinhos? – Parte 1

Desde jovem sempre colecionei quadrinhos, e como qualquer criança comecei a ler meus gibis pela Turma da Mônica do Mauricio de Souza. Era a época do famoso “formatinho”, com cores chapadas e só se encontrava revistas neste formato nas bancas. O tempo foi passando, o mercado amadurecendo e vieram os formatos grandes das revistas, o papel melhor e a impressão a cores especial.

No final dos anos 90 abandonei minha coleção, joguei fora alguns títulos antigos, outros se perderam pelas mudanças e há cerca de seis anos atras, com o advento de melhores smartphones, a aparição do Ipad e toda a pirataria disponível pela web, tornaram possível a minha vontade de colecionar quadrinhos novamente.

Desde então eu me deparo com uma dúvida cruel: qual o melhor meio de se ler um quadrinho digital hoje em dia?

Nokia_6120_Classic

Nokia 6120

Meu primeiro Smartphone foi um Nokia 6120, que logo vendi para comprar um Nokia 5800 e depois parti para o iPhone 3GS. Tudo isso em cerca de dois anos. Nesse tempo a tecnologia móvel deu uma grande salto de qualidade e com o iPhone e seu iOS, possibilitou que surgissem inúmeros apps que permitiram transformar o celular num verdadeiro canivete suíço. É lógico que uma possibilidade que sempre me chamou a atenção foi a opção de ler quadrinhos num aparelho móvel.

Nokia 5800

Nokia 5800

Na época da Nokia você enviava um arquivo pdf no celular e ficava com o teclado de zoom aumentando e direcionando a imagem para lá e para cá, para poder ler. Só que depois tudo ficava muito cansativo e tinha que forçar um pouco a vista para ler em uma tela tão pequena: o Nokia 6120 tinha 2,8 polegadas de tamanho, então imagina o sacrifício que era ler algo.

iphone

iPhone 3GS

Já o iPhone 3GS foi uma grande revolução com sua tela de 3,5 polegadas com o recurso do pinch to zoom: para uma leitura mais confortável você deixava o celular na horizontal e só com o toque na tela fazia a mudança de página, dava um zoom com dois dedos e comparado com a Nokia era uma maravilha.

Com o lançamento da App Store, a Apple também possibilitou que inúmeros aplicativos interessantes surgissem e principalmente os apps dedicados para a leitura de quadrinhos. Não me recordo direito quem começou primeiro, mas acredito que a Marvel lançou primeiro seu app, apostando no novo formato digital e em seguida foi acompanhada pela DC. A ComixLogic é outra loja conhecida que também oferece quadrinhos de várias editoras, com um catálogo mais amplo.

A principal novidade tecnológica era a leitura quadro a quadro do quadrinho, já que a principal limitação ainda é o tamanho da tela do smartphone. Outra novidade foi o surgimento aos poucos de uma animação dentro dos quadrinhos: uma onomatopéia que surge, um balão atrás de outro e até algum movimento dos personagens. Isso lembrava até aqueles antigos desenhos de televisão da Marvel nos anos 60, que eram a transposição dos quadrinhos para o formato televisivo. Mas a tentativa aqui era ampliar o interesse do publico pelos quadrinhos, já que ultimamente o mercado tradicional que quadrinhos vem encolhendo pouco a pouco.

Outro aspecto positivo do meio digital é o preço mais acessível dos quadrinhos: você encontra desde revistas gratuitas a preços variando entre centavos de dólares a três dólares ou pouco mais. Fora a possibilidade de encontrar edições mais antigas ou até mesmo raridades. Por exemplo um personagem que foi publicado aqui no Brasil mas nunca teve a série completa é o American Flagg do Howard Chaykkin e que você encontra disponível na ComixLogic as 12 edições por $19,99. O porém é que tudo está em inglês, e você não encontra quadrinhos disponíveis em português.

screen568x568

ComixLogic

screen568x568 (2)

ComixLogic

screen568x568 (1)

ComixLogic

O inconveniente da leitura de quadrinhos no smatphone é a tela pequena, pois na condução para o trabalho, na fila do banco ou um passatempo rápido quebra um galho, mas para além da leitura curtir a arte e a diagramação de um bom gibi a tradicional revista é imbatível.

Até que surgiu o iPad e minhas esperanças de carregar minha coleção de gibis num aparelho só me animou! Mas isso é assunto para um outro post.

Leitura de Quadrinhos no Kindle: Watchmen por Allan Moore e Dave Gibbons

kindle

Outro dia escrevi um post sobre como colocar sua coleção de quadrinhos para leitura no Kindle, que além de ser um excelente aparelho para ler livros em formato de e-book, também podemos ler quadrinhos nele.

Através da Kindle Store são encontradas várias coleções de gibis das grandes editoras,  e recentemente a Amazon liberou que autores independentes pudessem publicar sua histórias e vender diretamente ao público, sem intermediários. Para isso foi criado um programa chamado Kindle Comic Creator, e com ele você pode também adaptar toda a sua coleção de quadrinhos digital para leitura no Kindle.

A única coisa inconveniente na leitura de quadrinhos no Kindle é sua tela de e-ink: o quadrinho não fica em alta definição, então é necessário escolher uma história com uma arte que possibilite uma boa leitura.

A vantagem do Kindle é a sua leveza ao segurar como leitura principalmente na cama, antes de dormir, ou por muitas horas seguidas. Mesmo sendo um modelo mais antigo, como é o meu caso, pois não preciso ficar preocupado em tocar na tela toda hora e acabar mudando sem querer, como nos modelos mais recentes que possuem a tela touch.

Dentro da minha coleção digital de quadrinhos escolhi Watchmen do Allan Moore e Dave Gibbons para converter no formato do Kindle. Não preciso nem falar sobre a importância da história para o quadrinho mundial pois se Watchmen se tornou um ícone da cultura pop no mundo, além de possuir o mérito de colocar o quadrinho de super-herói como literatura séria.

Outro fato marcante de Watchmen foi alçar seu escritor Allan Moore como um super-star do quadrinho mundial e referência no gênero. Mas o bacana foi Moore possuir uma postura pouco afeita ao mercado e manifestar explicitamente seu incômodo pelo assédio da industria cultural em sua obra.

Após a conversão de Watchmen para o formato de leitura no Kindle, encontramos o modo de leitura quadro a quadro.

Primeiro encontramos a página inteira:

kindle2

Acionando o botão do lado direito ou esquerdo para virar a página, entra automaticamente no modo “panel” e então você começa sua leitura quadro a quadro.

kindle3

Como Dave Gibbons fez a história desenhando em quadros iguais página por página, o Kindle Comic Creator consegue rapidamente identificar seus quadros. Pelo traço limpo do seu desenho, mesmo com a tela de e-ink em preto e branco, fica uma agradável leitura.

kindle4

kindle5

kindle6

E assim ficamos com o prazer da leitura de Watchmen, uma história que desde que foi lançada, nunca me canso de ler e reler.

Lendo quadrinhos no Kindle

Kindle Keyboard Wifi 3a. geração

Lendo um quadrinho no Kindle, através do recurso do uso do Kindle Comic Creator. Fiz um passo a passo em um post anterior, quem quiser dá uma conferida neste link.

Agora um personagem que gostava bastante era do Rom, mas na época do formatinho da editora Abril nunca consegui acompanhar toda a saga. Mas neste inicio de ano consegui os arquivos digitais com toda a série e venho curtindo toda a história do personagem. Confesso que fiz um download pirata, mas enfim não consegui me controlar.

Mas fiz o trabalho de ir convertendo tudo para leitura no Kindle, até porque ler quadrinho no computador não tem muita graça não, pois o legal é ler deitado na sua cama ou no sofá.

Visão geral da página do quadrinho

Opção de zoom da página e do Panel View

Clicando com o botão direito entra automaticamente no modo Panel View do quadrinho

Outro quadro do Panel View

Kindle Comic Creator: um passo a passo para leitura de seus quadrinhos no Kindle

Em Abril de 2013 a Amazon lançou um software especial para transformar quadrinhos em versões digitais para leitura no Kindle, chamado de Kindle Comic Creator, possibilitando que autores independentes vendam suas histórias direto na loja da Amazon, assim como permitiu que se vendam livros também, através do Kindle Direct Publishing.

O Kindle Comic Creator trabalha com vários tipos de formatos de arquivos, mas o mais legal para mim é poder transportar sua coleção de quadrinhos para o Kindle.

O bom do Kindle é a sua tela de e-ink, seu formato leve e um software que roda tranquilo na leitura do dia a dia. Em comparação com outros readers o modelo do Kindle tem um design muito bem resolvido e mesmo o modelo mais antigo – que é o meu caso um Kindle Keyboard wifi 3a. geração – permite boa ergonomia e uma ótima leitura ao segura-lo.

Comparando com a leitura de uma historia em quadrinhos em um Ipad, o peso leve do Kindle ao segurar em mãos não tem igual. O Kindle cansa bem menos e se for pensar melhor, até segurar um livro de 300 páginas ou mais com o passar do tempo fica cansativo.

O legal do KIndle Comic Creator é que a leitura da HQ pode ser lida quadro a quadro, e pelo que eu sei em nenhum outro programa permite esse tipo de leitura, seja no iOS ou no Android. Voce também pode baixar o Kindle Previewer no computador para saber como ficou antes de transferir para seu Kindle.

O lado negativo é que dependendo do arquivo e do tipo de desenho de sua HQ, a tela do e-ink atrapalha bastante. Sua resolução não é das melhores para uma imagem com muitos detalhes, e experimentando vários tipos de arquivos, percebi que aquelas HQ mais antigas com cores chapadas e publicadas no antigo formatinho da ed. Abril, como Superaventuras Marvel ou Herói da TV, se adaptam melhor.

Agora segue um passo a passo de como criar um arquivo de HQ para leitura no Kindle.

Depois de instalar o programa, abra o programa e voce encontrará duas opções: abrir um arquivo existente ou criar um novo livro.

Criar um novo livro

Criar um novo livro

Escolhemos criar um novo livro: agora você define a língua de origem e alguns dados como a ordem de leitura, o formato de orientação e se voce deseja inserir o Panel View, que é a forma de se lar quadro a quadro uma HQ.

ScreenClip2

Em seguida temos a opção de inserir os metadados, ou seja, o nome da revista, os autores, a editora e definir a imagem da capa, localizando o seu arquivo de origem no computador. Além disso você poderá definir onde ficará gravado os arquivos com a revista para então ser transferido manualmente para o seu Kindle.

Tudo terminado, depois de clicar em Continue, surgirá esta janela onde então deverá escolher os arquivos de seus quadrinhos que serão convertidos. Note que o programa identifica vários tipos de formato tais como “.png, .jpg, .jpeg, .pdf, .tif, .tiff, .ppm”.

ScreenClip3

Depois da importação, surge a opção de criar o Panel View:

ScreenClip4

O programa possibilita várias opções de visualização: no centro você encontrará a página com o arquivo simulando a leitura em um Kindle. À esquerda você encontra todas as páginas no geral. Em cima se tem uma noção das várias ferramentas disponíveis que o programa oferece na edição da revista.

ScreenClip5

O Panel View funciona automaticamente em todo o arquivo de imagem. Notem que quanto mais simples a diagramação da HQ melhor ele analisa o quadro a quadro. Se for uma história com uma diagramação complexa, o programa terá mais trabalho para imaginar como ficará melhor a ordem de leitura da HQ.

ScreenClip6

Em cada quadro detectado o programa irá nomear com um # em seguida de um número para a ordem  de leitura no seu Kindle. Mas percebam que muitas vezes a detecção automática não será perfeita, e então manualmente você terá que refazer os quadros, acertando com o mouse a diagramação correta. Clicando com o botão direito do mouse, você poderá também criar um novo painel, ou então detectar os quadros de toda a página novamente.

ScreenClip7

Após todo o processo de definição do Panel View, você vai clicar em “Build” e então o programa irá produzir os arquivos de leitura no Kindle.

ScreenClip8

Essa etapa dura alguns segundos, e percebam que são gerados alguns arquivos, que então devem ser transferidos manualmente conectando o Kindle ao seu computador. E no local de origem você encontrará o arquivo todo com os dados para possibilitarem a leitura no Kindle, como é o caso abaixo:

ScreenClip9

Quando é terminado de produzir  a conversão, o programa automaticamente abrirá o Kindle Paperwhite Previewer para mostrar uma idéia do gibi, mas ele não permite a leitura quadro a quadro com o Panel View, que só funciona nos dispositivos Kindle.

ScreenClip10

Assim ficará a sua leitura no Kindle:

IMG_20130903_180051 IMG_20130903_180203 IMG_20130903_180226

E depois é só diversão!