Revista Chiclete com Banana no. 1 do Angeli

chiclete

Chiclete com Banana número 1 – 2a. edição

A revista Chiclete com Banana faz parte da história do quadrinho nacional recente. Sem a existência desta revista, do seu autor Angeli e dos seus personagens, posso afirmar com certeza que não haveria um quadrinho nacional independente e nem teríamos um amplo público de quadrinho no Brasil.

A Chiclete com Banana foi com certeza o lançamento mais importante da editora Circo, do Toninho Mendes. E nasceu num momento histórico importante no Brasil: Tancredo Neves é eleito indiretamente o primeiro presidente após a ditadura militar, acaba falecendo logo em seguida para dar lugar a José Sarney – que aliás até hoje vive na confortável sombra do poder político – e sobrevive entre 1985  a 1990 enfrentando os mais variados planos econômicos do governo.

O número 1 de Chiclete com Banana foi às bancas em outubro de 1985, quando entrou em cena a chamada Nova República. Depois de 21 anos de ditadura, os generais trocavam a farda pelo pijama. Cambaleante, o país tentava respirar. Em suas 24 edições, a revista presenciou a volta das eleições diretas, o recuo da sacanagem por causa da aids, a inflação delirante, o movimento punk, o congelamento de preços, o modismo new wave e, por incrível que pareça, quatro moedas circulantes: o cruzado, o cruzado novo, a URV e o real” (Antologia Chiclete com Banana, no. 1 Junho de 2000, editora Devir).

O sucesso de Chiclete com Banana era explicado por sua tiragem: inicialmente com tiragem de 20.000 exemplares, pulou para 40.000 na terceira edição e chegou a 110.000 exemplares entre os números 7 e 8, para então se estabilizar nos 60.000 exemplares. E tudo isso com uma periodicidade meio que bimestral, além de algumas edições especiais.

Eu comecei a colecionar a Chiclete com Banana somente no número sete, poia até então ignorava completamente esse tipo de revista. Mas fui começar a gostar de verdade  quando a revista mudou um pouco sua linha editorial, abrindo para mais colaboradores, inserindo mais textos e até colocando um papel melhor e algumas cores. Mas aí já estávamos na 16a. edição.

Com o sucesso da Chiclete com Banana era difícil encontrar nas bancas exemplares usados, então quando a própria editora Circo relançou seus primeiros números é que tive a chance de completar minha coleção.

Editorial da segunda edição da primeira edição. Entendeu?

Editorial da segunda edição da primeira edição. Entendeu?

Página 2 da Chiclete com Banana: Hit Parade

Página 2 da Chiclete com Banana: Hit Parade

Página 3

Página 3

Página 4 - Os créditos da Chiclete com Banana: uma revista quase feita por um homem só.

Página 4 – Os créditos da Chiclete com Banana: uma revista quase feita por um homem só.

Percebam que esta edição não foi muito bem impressa na gráfica: as páginas estão “lavadas” e o preto não é preto.

Um detalhe dos créditos da revista

Um detalhe dos créditos da revista

E apresentando o personagem principal: Bob Cuspe!

Página 5: Bob Cuspe para prefeito! A idéia do voto nulo toma forma!

Página 5: Bob Cuspe para prefeito! A idéia do voto nulo toma forma!

Mas a história do Bob Cuspe vou deixar para um próximo post, assim como o restante da edição.

As informações sobre a Chiclete com Banana e a história do país peguei emprestadas de uma tese muito bacana de uma estudante que publicou seu mestrado em 2012. Você pode baixar essa tese aqui.

 

 

 

 

 

Anúncios

8 comentários sobre “Revista Chiclete com Banana no. 1 do Angeli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s