Fanzine Coquetel Molotov

image

A revista Animal durou de 1988 a 1991 com corajosos 22 números nas bancas brasileiras, e foi a melhor revista em quadrinhos da época.

Descobri por acaso a revista Animal de no.4 numa banca de Campinas, e comprei os números anteriores pelo correio. Como a distribuição era complicada, não era em qualquer banca de jornal que se encontrava a revista e também havia o preço um pouco elevado em relação aos demais gibis.

image

Mas não quero falar muito da história da revista agora, mas sim sobre a edição que saiu a divulgação do meu fanzine que fazia naqueles tempos.

Comecei com o título de Coquetel Molotov, mas após um ou dois números acabei abreviando para Molotov mesmo e enviava os poucos mais de 20 exemplares de tiragem em cópias xerox para algumas revistas divulgarem e para outros fanzineiros como troca de zines.

Fuçando na minha coleção encontrei a revista Animal  no. 7 que acabou divulgando meu fanzine e provo a todos que não estava mentindo sobre o meu passado…

O mais legal da revista Animal era um encarte no meio chamado Mau, impresso em papel jornal, que tinha uma estética meio de fanzine, com muita colagem de textos e imagens, e abordava vários assuntos entre musica, sexo e quadrinhos undergrond,  onde se destacava uma seção chamado Maudito Fanzine. Nesta seção é que eles divulgavam os endereços dos fanzines e faziam um breve review de cada um deles.

image

image

Fiquei muito feliz quando saiu meu endereço (ainda morava em Campinas, SP) e também pelo desenho que fiz copiado de algum lugar, onde inseri a palavra “zine” na leitura e que fazia parte da capa do meu fanzine, como uma espécie de vinheta. Esses detalhes ainda me lembro, apesar de tudo isso eu já ter jogado fora já faz mais de 10 anos.

image

image

Mas como mantenho minha coleção de revistas em quadrinhos, com algumas coisas desta época, pretendo aos poucos ir escrevendo e tirando algumas fotos para divulgar. Se eu tiver um pouco mais de paciência e tempo pretendo até escanear toda a minha coleção e fazer uma espécie de biblioteca virtual disponível a todos. E quem sabe até imprimir este blog e voltar a editar um fanzine de verdade, que na verdade eu acho muito mais legal de ler do que em um computador. É a volta do analógico!

Anúncios

Caçador de Coleções (com PH do TOP TV)

Acompanhe essa reportagem que é muito bacana do colecionador Paulo Henrique Góes, o PH, do blog Tu Já Viu. Um excelente blog com muitas informações, matérias interessantes e muito conteúdo de respeito.

行け! 稲中卓球部 ou melhor, Let’s Go! Inachu Takyubu!!

Imagem

Let’s Go! Inachu Takyubu” é o título do mangá em inglês, que por acaso acabei descobrindo em 1996 quando estudava no Japão fuçando naquelas livrarias japonesas maravilhosas cheias de livros, revistas e mangá. Era uma época que o quadrinho japonês não fazia tanto sucesso assim pelo ocidente, nem era comum se deparar com estes títulos aqui pelo Brasil.

Infelizmente estes personagens de “Let’s Go! Inachu Takyubu” não deram as caras aqui pelo Brasil, talvez pelo senso de humor puramente japonês e delinquente, mas encontrei o desenho animado da série no Youtube com legendas em inglês e dá para se divertir bastante.

Mais detalhes coloquei algumas imagens no Pinterest sobre o mangá!

Leitura de Quadrinhos no Kindle

Imagem

O Kindle foi uma encomenda feita ao meu primo que acabou me dando de presente quando foi a uma viagem aos EUA em 2010. Apesar do formato de arquivo proprietário de e-book, ainda considero o melhor reader para leitura pelo design e software.

Uma atualização no inicio do ano possibilitou a leitura de arquivo em quadrinhos, e alguns meses atras a Amazon soltou um software para edição de quadrinhos e publicação dos mesmos para sua loja, mas que também permite que seus comic books sejam adaptados para leitura quadro a quadro no Kindle. Esta é mais uma funcionalidade que trouxe ainda mais utilidade ao meu Kindle. O porém é que as imagens não ficam em uma boa resolução, sendo mais fácil a leitura quando se adaptam histórias em quadrinhos mais antigas, como nos formatinhos da editora Abril e suas cores mais chapadas e letras um pouco maiores.

Enfim, mais uma forma de se apreciar os quadrinhos que não sejam somente no papel.

Watchmen Motion Comic

Este é o melhor: #watchmen #motion #comic

Quando saiu este comic motion eu me lembro de ter visto na época para leitura somente no iOS, o iPhone 3GS, e fiquei com uma tremenda inveja. O porém é que só havia em inglês, e acabei deixando de lado. Até que em 2010 passeando em uma feira de quadrinhos, me deparei com este DVD e adquiri na hora, sem pestanejar. O interessante é como a obra em quadrinhos se adaptou para uma animação quadro a quadro, além da narrativa que funcionou muito bem em contar a história.

Quando um artista consegue produzir uma obra-prima, ela se adapta em qualquer formato. Uma pena que mais iniciativas como este comic motion não tenham sido lançadas com frequência, principalmente em nossa língua portuguesa.

http://instagram.com/p/VPXHKrt6NE/Imagem

“May the Force be with you”

Imagem

Sempre fui fã do filme Star Wars, assim como milhares de pessoas no mundo e não vejo motivos para não gostar da série, dos personagens e de toda a mitologia por trás do filme.

Encontrei esta mascara a venda em uma loja de brinquedos, mas infelizmente meu filho preferiu outra do G.I. Joe, porque parecia mais com um ninja. Hoje esta mascara está jogada num canto do quarto, e me arrependo hoje de não ter comprado esta do Star Wars porque pelo menos poderia ficar de enfeite na estante como coleção.

 

Sobre o blog Coquetel Molotov

Coquetel Molotov foi o nome do meu primeiro fanzine lá pelos idos de 1989. Infelizmente acabei jogando tudo fora e fiquei sem original ou cópia para provar minha originalidade. Quem sabe encontro alguma revista de quadrinhos antiga que divulgava fanzines e posso encontrar meu zine por lá. Mas agora pretendo construir este blog aos poucos com minha coleção de quadrinhos. Por enquanto é só intenção e imaginação, mas quem sabe a coisa vai tomando forma com o tempo.